O neto do meu vezinho está aqui comigo e está a chorar mas coitadinho lá vai escrevendo que eu não sei né?

A MINHA ALMA ESTÁ DE LUTO !

Deus chamou o meu Besberto para junto de si. E o meu Besberto aceitou a companhia de Deus para me poupar ao sofrimento de ver a sua dor e eu não me conformo.

Como era nosso desejo foi feita a cremação e as cinzas do meu Besberto foram lançadas ao vento no alto da Serra do Montejunto hoje de manhã.

Como está aqui o meu querido menino aproveito para dar uma última palavrinha queu sei que o meu Besberto me está a pedir.

-Agradeço muito ao nosso amigo professor Raúl a sua grande amizade desde sempre. Um beijinho para a Émi e para os meninos.

-Um abraço muito aconchegado para a Avó Pirueta que acarinhou sempre agente do seu coração bondoso.

-Um abraço muito amigo para o Alma Social esse grande maremanjo que o meu Besberto gostava de uma maneira especial e era cá dos dele.

-Um abraço para o André Escrito a Luz cagente gosta muito dos retratos dele e vai ser um grande homem dizia o meu Besberto.

-Um abraço muito amigo para o Alberto do Arroxadas que o meu Besberto ademirava muito e sempre deu apoio.

-Um beijinho cheio de ternura e carinho para a nossa perninhas do estranhodesassossego que foi das meninas mais fantásticas cagente conheceu e o meu Besberto tinha como uma filha do coração.

-Obrigado á nossa amiga Pipi que acompanhou agente a cada minuto e foi ela que deitou ao vento as cinzas do meu Besberto lá no alto da serra e foi lá comigo no carro dela.

Agradeço ainda a todos os quase 7 mil visitantes do meu Besberto e a todos os amigos que estiveram comigo nestas horas de dor.

Este computador agora é oferecido aqui ao neto do meu vezinho que é uma recordação do tio Besberto e foi dado ao meu Besberto lá nisso das novas opurtunidades quele teimava em aprender melhor.

O caxopo ainda não parou de chorar camodos vou terminar. Quero apagar tudo mas ele não deixa e quer ficar para recordação.

Um bem haja para todos queu nunca mais vou sorrir e que o meu Besberto descanse na Paz do Senhor queu não tarda irei fazer-lhe companhia

MARIA DO BESBERTO

eu pedi ao neto do meu vezinho para dar a notícia que o meu besberto esteve quase a finar-se. é o cabo da priocupação que eu não sei escrever camodos o caxopo faz o favor. o meu besberto graças a Deus está a melhorar e não tarda tá cá em casa. ele deseja um bom ano para todos os amigos e eu também. maria do besberto

cac1

á rapázes valêntes ca tão imparávéis né?

ca dévem buêre carradas de cervêja prêta ca gemada ca dá munta fôrça

atão coje fui lá vêre o jogo ca jugáram munte bém caté parcia porficiunais ã?

 o nete do mô vezinhe ca táva munte inxade do peite queu tamém táva.    o gaijo na durmiu nada só a pensare quere co torriênse caté disse ai ti besberto quiste oje é ca vai sêre caté tá-me a dáre a caganêira. ca caganêira ficárão os outeros né?

munte bém rapazes .

munte bom natale pa todos do amigo besberto

cacmái nada.

coje o nete do mô vezinhe ca táva munte inxade do resultádo ca foi cuma xuva danada cos gaijos aguentáram insupádes até ó osso.  á valentes.  pá semana qué cá queu já posso vêre.

tomates qué o queles tém né?

igreja

olhaquésta  né?

estanciunamento  perivativo ?  

fêira ?

adonde ?

dantes quera vêre carrádas de pessoále a vire pá fêira do pinhão do 8 de dezembre quéra cáminetes xêias cos furasteiros quera a vila ábarrotáre cos fêirantes e co povo até denoite.

os cafés quera dum negóço pó reste do ano cagente anregalava a pança ca dubráda e ca fêijuáda lá do dimas.

cas putas das mudernisses tá duma miséra.

bardamerda da indéia.

cago-e-ando

——————————————————————————————

nsenhora

8 de dezembre dia de nóssa Senhora

coje qué dia de fésta né?

camodos faz muntes anos queu e a nha maria cazámes purque os trápos e a cama agente tinha ajuntáde á catempes. 

queu gosto munte da nha maria mêmo cando tá lá cas azêdas.

mulherespácabáre a nha maria quinsestiu qué cas mulhéres quiste sindireita.

pedro1reis magos da minsericórda. sungestão do aníbal

digitalizar0007

coje qué 1 de dezembre tá átestáre páguentáre ca friage.

atão qué a nha ómenage pá retunda.

 na é só os rêis ca tém direite né?

cac5ai co nete do mô vezinhe ca táva munte esconsuládo quimpatárão.

á rapázes qué perciso animáre qué munte bom 3-3 lá cos da iria dázóia cos outeros caxopos jugárão co torres vedras ca tróssérão 3-0.

  á valêntes. 

luzestão a metêre a inluminassão do natále ca tá munte bém.

na axo é lá munte bém da falta dinluminassão da rua do ármazém mc camodos qué rua ca tém munte cumerço inguále ás outeras ruas né? tamém tém lá a séfora qué adonde a nha maria fás a premanente.

vou reclamare ó verador da inluminassão quiste qué escriminação

dinoquesta notíça tá do blogue turres veteras atão queu pedi óturização pa metêre aqui camodos a sabêre quem é o gaijo

  Hoje o Estranho Oeste reflecte acerca da insólita venda de uma cauda de dinossauro…

Segundo o jornal mais lido dos cafés portugueses e igualmente o jornal menos tido em conta por muita gente – o Correio da Manhã (link do artigo)-, foi colocado um anúncio no Jornal Ocasião, em que se vendia uma cauda de dinossauro. Ora, não consegui encontrar o anúncio no site do Ocasião (talvêz tenha sido retirado), mas o facto insólito não me era de todo desconhecido (já sabia do achado e das ‘condições em que foi feito).

Esta estranha estória chega do concelho do Cadaval, onde um senhor de uma empresa de terraplanagens e poços encontrou, faz já uns anos, uma cauda de dinossauro durante um dos seus trabalhos…levou o achado para casa e agora quer arrecadar bom dinheiro (note-se que garente ter recebido proposta de 100000€ de uma autarquia do oeste e não ter aceite)… estranho no mínimo é o facto de não dizer onde a encontrou… estranho, ou nem tanto…

Vejamos. O homem foi contratado pelo senhor x, que lhe pagou o serviço feito no seu terreno. No decorrer dos trabalhos pagos pelo senhor x e nos terrenos do senhor x o ‘vendedor’ encontrou os fósseis… é claro que agora teme que o senhor x venha reclamar parte dos lucros… e com razão o faria!!

Agora vamos a uma questão mais profunda. Tratando-se de um achado arqueológico/paleontológico com tanta importância para a ciência, como classificar a atitude do referido senhor? Vender por um preço exorbitante um achado (que ainda por cima não é bem dele) que tanto valor (não monetário, entenda-se) pode ter para o seu concelho e para a ciência revela sobretudo um egoísmo muito grande. Não revelar a proveniência dos fósseis, para não ‘comprometer’ os seus lucros reforça ainda mais esta ideia. De facto, saber de onde vieram os fósseis é determinante e permitiria fazer sondagens e, quem sabe, encontrar o restante esqueleto fossilizado, ou grande parte dele…

É pena que este senhor se esteja a apropriar de algo que é uma riqueza comum e, para além disso, a ter dono, o legítimo não é ele mas sim o dono do terreno. Segue aqui o apêlo para que o ‘vendedor’ faça o que é mais correcto: entregue o achado à ‘ciência’, ao município, etc… se não quer ‘dar’, pelo menos deixe estudar, fazer réplicas, fotos… diga onde encontrou… permita o avanço do conhecimento.

Pena não dar para o obrigar a fazer tal coisa… como disse a outra, seis meses resolviam muita coisa

Para finalizar, ficam os comentários que estavam no site do CM… têm a sua piada!!

21 Novembro 2008 – 13h11 | EBAY NA AMERICA
META O ANUNCIO NO EBAY NA AMERICA E VERA OS MILHOES DE OFERTA….E UMA BOM APROVEITAMENTO PARA O ACHADO…

21 Novembro 2008 – 12h14 | helder
Só neste país …o que é publico se vende

21 Novembro 2008 – 10h32 | fafto
Admirados,pk se o Governo vende o país a retalho p/ter dinheiro p/seus”magros”vencimentos!Os exs vêm de cima!

21 Novembro 2008 – 09h02 | andre couto
É do estado e tem de ser confiscado e mais nada! Possivelmente até achou no terreno do vizinho!

21 Novembro 2008 – 08h03 | revoltado
este até vendia a mãe ?

Publicado em Novembro 26, 2008 às 12:09 pm e está arquivado em Estranho Oeste este, Oeste… Terra Amada. Tagged: Dinossauro. Pode seguir as respostas a esta entrada através do RSS 2.0 feed. Você pode deixe uma resposta, ou trackback do seu próprio site.

imagens1

omenage ós impresáiros ca dão trabalho a munta gente ca bém perciza né?

questa indéia foi do mô amigue zé da feliça

digitalizar0003sungestão do mô vezinhe pá nova retunda.

 

sálguém quisére sungerire camande os retratos pó besbertocharrua@gmail.com

cac4oje foi jogo incaza camodos ca fui lá vêre. atão na é cos gaijos fázem um figurão caté mete pêna lá os caxopos da malveira ca foram munte desconsuládes.

força rapazes. cá o besberto tá com vocêzes.

reis-magos-1

sungestão da nha maria pá nova retunda qué uma ómenáge munte xique.

joaninha

caté quinfim cabriu o mirante né?

a nha maria mais eu fomes lá quela tinha sodades camodos gustou munte da nóva decurassão tamém a caxopa qué munte despaxada questa vai longe tamém qué munte simpática e munte da cunversa.

do nome na cuncordo.

ná.

juaninha? ca raio dum nome ca na é porpósito.

cac1tenhe parmim cos gaijos candam a tomáre gemádas com cervêija prêta.

atão na é ca outera iquipa tamém anrecadou 4 a 3 lá dos campêlos?

ai ca pêna ca foi tude fora queu na posso ire camodos pá semana qué cá. parabéns gaijos valêntes.

amor

atão na é ca lênha qué mêmo cum cólidade?

árde ca sa fárta.

arvore1atão queu cunfésso né ?

quiste tá munte mále pós reformados camodos na á verba pá lênha da larêira ca friáge aperta queu meti uma cunhazita ó verador da ineregia ca vai diste a percizare do voto dos reformados fês a jentilêza dofercêre págente da melhore lênha quéra as árvures dali dópé da retunda ca na fás lá falta caté tapava o indifiço camodos tamém fazia munta umidade lá do parque né?

agente cagardeçe munte.

arvore2

farmacia2farmáça nova munte xique.

a nha maria caté expetou o dêdo pa medire dos diabetes camodos de ficare mais tempe páperciáre tude melhore né?

cagora na tá munte bém pós culaburadores (dantes quera empergados né?) do zé eitôre cos omes infiádes lá do bêco cagora na tém mirage pa destraíre.

oraquesta ã ? quera porvizório ã ?  camodos tão teramades né?

queu caté fico alorpado.

na se fás.

farmacia11

bobadelaca bubadéla tá perimeiro ca dêu cábazada ó turriense atão toma páprendêre cos gaijos do CAC tem tomates né? atão queu gustei foi mêmo do nete do popelinas camandousse ó porvocadore assim co peite munte inxáde caté parcia o gálo cando vai pá luta. ái ca gárra ca genica qué acim mêmo.

parabéns rapazes.

ponte

tapête novo da ponte.

ca nha maria ca ficáva sempere cos saltes infiades lá dos buracos camodos cagora qué munte melhore né? vames dare os parabéns ó verador das pontes.

atão qué duma vregonha návêre uma áleminha caridóza párranjáre o párque abandunado désta manêira?

co cadaval mudou tude lá parcima pó pé da cambra qué  tamém o tribunale o rejisto civile  camodos os jardins tão sempere munte vestozos e felurides pós dótôres injenheires.

na á respeite pó povo ca móra cá embaixo?

atão ó verador dos parques? comé?

TÔ MUNTE INXADE DO PEITE NÉ?

canrecebi o PRÉMIO DARDOS caté manrepiou os cabêles das suberançêlhas.

xegou ofercido por  —  escritoaluz.blogspot.com — a quém eu agardeço cum abraço amigo.

ségue agora as régueras do premio:

Informações sobre o Prémio Dardos

.

Com o Prémio Dardos reconhecem-se, os valores , que cada blogger emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais… os quais, em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo, que está e permanece intacto entre as suas letras, entre os seus pensamentos e logicamente escritos. Estes selos, foram criados com a intenção de promover o salutar convívio entre os bloggers, uma forma de demonstrar carinho e, reconhecimento por um trabalho, que agregue valor à Web. Quem recebe o “Prémio Dardos” e o aceita deve seguir algumas regras:

 .

1. – Exibir a distinta imagem;
2. – Linkar o blog pelo qual recebeu o prémio;
3. – Escolher outros blogs a quem entregar o “Prémio Dardos”.”

 Cabe-me agora reatribuir este prémio, disseminá-lo pela blogosfera, conscientemente.

 

atão na é quisto é mêmo bunito? cagora é qué piore queu tenhe dinficuledade pa dizêre os numiados camodos queu na quéro ófendêre ninguém. dencidi qué pá nha perninhas queu e a nha maria andoramos e tamém pó arroxadas ca dá sempere nuvidades cá do concellho.

 

1. ESTRANHODESASSOSSEGO

2. ARROXADAS

 

queu quero referire tamém ca vesito sempere a folha selvagem a pipi de bico e o alma sociale cá da terra e muntes outeros ca na cábe aqui tude né? cacabou o porummundomelhor do porfessor raul queu e a nha maria mandames um abraço amigo e pá émi e tamém tô co olho no miradouro do montejunto quele screve munte bém.

munte obrigado ó andré do escritoaluz da generuzidade dêle e um abraço amigo tamém da nha maria coje á festa né?

cá um dótôre ca na cuncorda do compelemento

vai daí cumeçou a fazêre um indifiço novo camodos vai fazêre sózinho a urgênça.

qué têre tumates né? 

ai ca dou a mão á pálmatória.

andemito ca gosto munte désta faxáda ca tá munte vestoza duma côre inguále cas janelas bunitas.

mau gôste qué as lêteras xapádas co tamanhe dum inlefante.

návia nessessidade né?

xama-se cá mais 7.

7 né?  á omes valêntes.

queu tenhe munta pêna ca foi na ota camodos queu fui torcere pós caxopos cá do campo ca fizéram tamém um figurão ca déram 4 mócadas.

tá anviáde e tá dito. muntes parabéns pessoále.

atão na é co cabrão do cáxote parcia avoáre?

duma sorte na paráre lá do meie da strada e amandare cuma trombada no carro co ome ia dando um atáque do suste.

qué munte terrívele estas ventaneras do carassas queu bém ca disse ó veradore dos cáxótes cos cáxótes qué pa tare amarrades canão inda agente grama cum cáxote da tromba

queu táva lá da jogatina co vezinhe ca xêga o nete ca mão dos tomates afelito pa mijare. ópá ca na á retréte lá do culéjo? atão na é co gaijo ca responde qué duma nujice qué mijo por todólado do tâmpo da retréte e do xão cando em vês caté caganêira?

mau mau catão ca flore selvage ca diz o mêmo lá da retrete das porfessoras.

co vezinhe ca vai falare co verador das sanitas pa sabêre qué cas empergadas tão lá a fazêre todo dia qué só cunversa.

tem ca ralháre cos caxopos né? ca na tém inducassão?

do mô tempe cagente gramáva dum par de galhêtas do porfessore quera o maxade.

qué mêmo pa têre órgulhe né?

atão na é cos gaijos quentram co pé grande ca rápam 5 bálas?

muntes parabéns pa todos e pó neto do mo vezinhe ca jugou munte bém.

cuidade ca porcição tá no adre. juíze .munta cuncenterassão

                                                 

tão mais omes né?

cagora qué pá desteritale de lisboa camodaos ca tem ca dare o litro né?

cumeça o campionato do dia 25 ca vai sêre darromba cos gaijos tavam munte inchades do peite ca fatiota nova co nome das costas cassim agente sabe o nome co neto do vezinhe inlugiou da oferta do rapás qué filho do oráço

bem ája da oferta coje qué tude parcima dum denheirão ca tem ca têre tomates pa sêre acim jenerozo quele cavia de sêre o verador pó desporto né?

atão ca vai um ome almoçare ca preça camodos pa xegáre ás 3 oras pa vêre os cavalos lá dos saltos qué munte bunito ca xega cos bofes á boca do caminhe qué duma cansêra ca cambra na deu caminete

quera vêre os gaijos a metêre pau aqui capois mete pau parbaixo e mete pau parcima cagente ca fica expécades cuase 2 oras a vêre a serra de montejunte?

 

 

 

 

 

 

oraquesta qué do respeite cagente meréce?

bardamérda catão navia cadêiras pássentare qué mêmo só lá pós memos ca na perciza?

camodos queu vim lanxáre ca nha maria ca na quiz ire ca já sabia quera o mêmo de sempere

  cas costas voltádas co reste qué lixe

 

ai ca nha maria tá munte inxada queu aparci da telvisão quela caté na cria aquerditáre camodos caparceu a vezenhança toda lá pur casa.

caté tô camodos xatiado ca rapariga do porgrama ca maremanja ca têve o despelante de passáre pro mim e fês foi preguntas ó do lade ca fingiu queu na táva lá. queu bém disse á nha maria caquela camisa táva munte velha cavia de metêre o fato dos funeráis.

tenhe parmim quiste da festa da andiafa cavia de sêre adonde era dantes qué duma cansêra ire lá parcima cagente fica cos bofes á boca do caminhe né? atão quera aqui dos bombeires ca táva munte melhore né?

queu vô falare ó verador das festas camodos a porvidenciare caminete pós reformados.

ai ca falta ma fás o meu joli.

 

 

 

 

 

qué duma teristeza vêre aqueles caxopos ali pós ládos do café dinfrente ó coléjo né? qué todos dias duma indeçença ca bubadêra a fumáre purcarias cagente a passáre e eles a dezafiáre cos palaverões ós bérros álhos e côzasse ca na á uma álminha dáuturidade pa dáre cum pár de tabéfes.

quiste qué duma fartura caté dá gôsto.

canto maiore a concurrênça melhore cassim pode sêre cabáixe do preço né?

co home ca tênha boa sórte ca meréce.

ca na pode é vendêre carne de lião né?

atão na é co róxiri táva tão destinte ca sua rosa lá do porgrama da telvisão? ai ca faláram munte bém. méte o moinhe a funciunáre co trigo imperestádo capois dá a farinha da troca caté cunvidáram a caxopa lá da telvisão a vire cá ó cadaval.

 ája gente ca divulga a nossa terra ca bém perciza né?

muntes parabéns pó roxiri.

cavia da recebêre tamém os parabéns do verador dos moinhes né?

     -V E R G U N H O Z O

ATÃO NA XEGA DE XINEZICES ?

QUERA SÓ PÓ MÊMO RAMO?

ATÃO CO VERADOR DO COMÉRÇO TÁ A DURMIRE?

MAIS UMA FACÁDA PÓ CENTRO DA VILA.

valha-me s. besberto

queu quero inlugiáre o toininho da iniçativa do baile camodos cagente gustou munte. tô derriádo da nhas cruzes ca nha maria quera só bailare queu na tenho a mêma angelidade né?

táva munte linde e munte xique as pinturas lá das paredes.

tamém mices cámuntas por aí né? ca nha maria aperezentasse bém.

atão comé ?

quincolhe o pão todos dias ?

 26 melréis ca na cabe da cóva dum dente ?

acim tamém queu ficava rico dum estante né ? ca na pode aumentáre do preço róba na massa.

ai ca festarada ire ó baile das vindimas da nha juventude.munte xique né?

ca nha maria tá munte vaidoza queu rezervei mesa pó baile lá do CAC. ganda toino ca deulhe  esta indéia berilhante quingatei o mô genre ca fomes lá á feira de santana comprare uma fatiota ca nha maria tamém aviou cum traje munte catita e uma mála nova capois vai lá á séfora fazêre a permanente.

 quinformo qué da indéia do amigo miradouro de montejunto dantribuíre o nome

” PAVILHÃO Prof. DANIEL CARINHAS”

ó indifíço por cima das escolas.

tenhe parmim qué munte mêmo munte bôa indéia.

                      BERILHANTE…….

(vêre cumentáiro do poste INLITERADOS)

queu tive a lêre o site da cambra. digo ca na gustei mêmo nada daquelas palaveras anluzivas ó porfessore daniel.

atão co verador das fráses dótourado das lêteras narranjava outeras paláveras mais andecuádas?

      recém-desaparecido      valha-me s. besberto

                                                          

                                                          

                                                                                                                                                                                     digo já ca na é exquesitice. cando tá bem, tá bem. cando tá male qué piore.

queu comi o pão co diabo amassou e cando cagáva lá da fazenda alimpava o cu cum punhado dervas camodos queu na gosto da fálta dingiéne da cavia o pão nosso de cada dia caquilo qué chão ca na vê vassôra munte menos água. os videros sebêntos ca na dêixa vere cá da rua. e pióre queu vi fazêre uma sandes cas mãos cacabárão de mexêre das muedas e das notas… atão custa munte metêre uma luva?

                                                            

 

aporveitei o tempe pájudáre o vezinho ca pêra. ca desgraça queste ano foi duma miséra quinda vou indagáre ó verador da fruta parqué os ingenheires cas órdes á dotore quinzigem queste porduto qué melhore ca seguire qué outero. gasta um ome furtunas camodos a pêra na vai pó mercado catém dire pá indústria.

ingenheires da canêta e papéle caviam era dandáre lá na fazenda de sol a sole paprendêre capois o vezinho caté meteu sacos de porduto pindurades das pereiras. pos vistes foi pa infeitáre. mudernices. oraquesta dandáre a fazêre esperienças co suóre dos outeros.

bunitos bunitos tão os meus tomates. tão grandes caté parece abóboras caté oferci ás vezinhas pá salada.

táva a vêre a coiza pó tôrto ca vingança da nha maria

táva camodos a parcêre ca nha maria na dáva o braço a torcêre

quela cavizou né ? cá o parvo do besberto méte o pé na poça capanha uma valênte bubadêira cando o rapaz do dimas aberiu das férias

tenhe parmim ca foi dintuziasme co pessoale táva cas sodades do tintol e da jogatina tamém cagente na é de ferro né?

coitada da nha maria

ó besberto atão quentra ali á porta um burraxão a vanrejáre ca vumita -me a carpete nova do curredôre e caralho páqui e fodasse páli camodos a vezenhança a rire dezalmades. na perdes da desfeita. computadore fora de serviço.

oraquela caté tem razão. quem sa lixou fui eu

quera festinhas quera miminhes caté comprei um álguidáre novo lá do xinês

ó maria cagente vém agora da missa ca podes perdoáre né.

queu aporveitei a destráção da nha maria e screvi iste pa dáre santisfação na vá opessoále pensáre queu murri né? ca nha maria ca scondeume o computadore do castigo cas mulheres tem déstas coisas cagora tô a cunvencêla cos carinhes e beijinhes ca na tá a resultáre co tempe vái lá. iste qué o computadore do neto do mô vezinhe. a nha maria tá têimósa queu ademito quela caté tém razão prontos. até bereve. spero eu né?

 QUÉ AGORA QUISTE  CÁI  NÉ ?

ABANCA CÁ DA VILA E TOCA DENXÊRE O CÚ Á CONTA DAGENTE COS CADAVALENSES SEMPERE TERATÁRAM MUNTE MELHORE OS FURASTÊIROS CAPOIS QUÉ ISTE QUE SE VÊ. QUEU FOSSE O IRMINO CA SPETÁVA CUM FUGUÊTE P0 CÚ ACIMA CANTERRAVA LÁ DA TERRA DELE QUÉRA ADONDE AVIA DE TÁRE.

 na é vacada não.

qué torada da verdadêira cum torêiro a valêre e cos furcados de munte perestige cos malhades tão munte inxades do peite.

 pudéra, cassim lá os irmãos ca fica cas árcas xeias ca carne dos toiros pós jantáres da benefiçênça. indéias geniáles.

ca nha maria tá munte inxada dorgulhe ca fonte ca tá a ficáre dum mime.

ai co verador das fontes tá com munte gôsto queu na gósto nada das mudernices camodos questa renuvação fica munte andecuáda ca nha maria tá dezerta destriáre a fonte caté comprôu um garrafão novo da ágriloja.

ca buêre o tintol co gôsto do peixe na mapanha máis. ái não. quiste do dimas táre fexádo munte tempe na póde sêre ca tá a lixáre a panciênça. cuncordo co rapás ca tá cançádo daturare agente camodos perciza danrejáre ca famíla. qué muntes dias cagente na tém outero poizo né?

tô esbungalhádo co gaijo do peixe ca vende lá tintol caté cavia dóferecêre camodos da despêza cagente fáz ca deixa lá a nota tôda. uma robalhêra

cá par mim o verador das pinturas ficou co azul do algarve interanhádo da vista camodos decediu E MUNTE BEM pintáre a escola co azul ca fica a matáre.

muntes parabéns qué tiráre o xapéu

pó ano ca vai ó norte lá do douro e pinta a outera escola guerná da côre do tintol.

  qué duma vregonha o buraco do colégio qué dum prigo munte a sério ca várza cavia delá torpeçare e marráre ca tromba lá do funde capercebia logue a fundura.

atão na manda enchêre aquilo cum bucado de terra purquê?      

qué a melhore espelanada cá da terra né? atão quiste tá munte mále co pessoale quere fazêre á vida e na pode cas rendas córta logue os tomates a un home né?

queu táva mêmo a pervêre ca caxopa náguentava ca despeza da renda qué duma robalhêra. co rapáz pudia sêre mais brando a metêre a unha ca tá viste ca quére trocáre de jipe.

teristeza vêre o largo vazio sem a espelanada á noite tude ó escuro.

co gaijo tivesse curação ca baixava da renda ca coisa marxava camodos assim qué munte bém feite ca fica cas mãos ábanare ó fim do mês ca ninguém péga.

até quinfim ca retunda tá mais composta.

co infeite pudia sêre um nadica maiore  caté comprendo o veradore das retundas na tém verba pa mais camodos sempere dezenrásca. como diz a da nuvéla tá munte xanã

     

cum gáijo tá fóra meia dúza de dias cando volta qué só mudanças.

esta terra qué duma reviravolta ca tá sempere a mudáre pa na cansáre agente né?

atão ca féxa o serra da neve e a loja da caxópa qué lá da catequéze e mais a loja da outera caxópa intiada do géniérre e tamém o mirante?

ca na fexe o júlo queu acertei lá o meu interro mais o da nha maria ca foi parcima duma furtuna camodos cagente quére sêre quermados co mô genre na tem tempe dir ó cemitéro meter flores

atão cas putas das pédras candávão cá a muêr o juízo?

lá da urgênça qué uma simpatia carranjáram lógo uma cama e óperação do dia a seguire. dite e feite ca nha maria na lárgou o óspitál 1 minuto queu tamém dei apoio da crize da caganêira dela né?

co dotôre foi lá da vesita e deixou uma prenda qué um frasco inguále ó da marmeláda cas pedras da nha vesícula. gentilezas destas qué munte rare camodos a nha maria meteu incima da cómoda pa infeitáre.

tá munte mále co verador dos prédos cautoriza metêre prédos incustados lá á bomba da gazolina.

comé ?

cas bombas da gazolina qué pa táre bém longe ca deste cazo táva lá perimeiro. cos prédos forão lá culados incima ca tenho cá parmim qué xtensão da cambra pa instaláre mais gabinêtes pós ingenheiros  novos ca na cábem lá do outero lado caqui fica perto ca póde tamém passáre o dia do écomarxé pa distraíre… 

sodades do ti jaquim da farmáça ca tênha a alma lá do céu quera um home á séria caviáva agente dia e noite cagora os outeros tém o rei na barriga do olho do cú cagente perciza duma pomáda cacába ás 10 e meia da noite qué percizo recêita ca tém ca telefonare a xamáre sua xcelênça ca tá repimpado a bebêre um ísqui e cága da urgênça da pumada ca nha maria na pode pedire o fénistile qué só do outero dia?

é metêre um telfone á porta cagente na tem oberigação a tere telfone do bolso.

bardamérda. atão cagente na perciza na vai lá né?

Julho 2017
S T Q Q S S D
« Jan    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Os mais clicados

  • Nenhum