o mô vezinhe ca têve amabelidáde dófercêre um coêlho á nha maria e quéla fês onte pó almôce. táva pa lambêre o beice ca nha maria fás acim queu vi –  mete lá do tache de bárro a cebôla picáda mais o sále alhe  azêite manlaguêta e lôro e tranca dois cópos de tintol e uma culhére de café ém pó qué o seguerêdo déla. dêixa acim do sábado e ó domingo antes dir á missa méte ó lume e cando vém da missa tá pa cumêr. conte agente viu a missa da telvizão e ca foi munte bunita lá ca miúdage cos xapéus munte culuridos e o pádre ca falôu munte bém. a nha maria tamém fês um arrôs dirvilhas co cáldo do coêlho. ai queu comi dalárve e cainda soberou pó almôce damanhê cagente é pôpádes ca vida tá cára. quinda levei uma pérninha pó neto do vezinhe.

 

Anúncios